DO BOICOTE À PARTILHA. NA BABILÔNIA. RATEIO

945499_591530737538023_512084319_n

 

Clique na imagem para visualizar a programação completa.

Advertisements

O QUE VOCÊ ALIMENTA QUANDO SE ALIMENTA?

 
Saudações à todxs
 
Com imensa satisfação deixamos na mão docêis, o vídeo “Todos Amaranto” com o intuito de divulgar o Seminário “Terra, alimento e liberdade – O que você alimenta quando se alimenta?”
 
gratidão enorme ao Rick Solar, Ana Lu, Lucas Ciola, Rogério Boi e Steven que toparam gravar de última hora a música que faz a trilha sonora do vídeo 
 
Esse vídeo reforça o convite à todxs para participarem do seminário e das atividades vão rolar durante a semana
 
Pedimos à todxs que tiverem na disposição aquele apoio na divulgação por facebook, listas de emails, contatos pessoais, redes de comunicação, satélites e/ou outras formas que conhecerem e estiver ao alcance
 
TAMBÉM HAVERÁ STREAMING DO SEMINÁRIO
 
Gracias a la vida
 
Paquecito,Ga,  Manu, Julio,Olga, Ana Gomes, Fabi, Mariah, Veri
Comerativamente e Coletivo Sem Nome

Seminario Divulgacao das mesas

Seminario flyer alimento

(clique na imagem para visualizar)

Seminário de Agroecologia – USP

Terra, alimento e liberdade: 

O QUE VOCÊ ALIMENTA QUANDO SE ALIMENTA?

De 3 a 7 de Junho – Auditório do Departamento de Geografia e História – USP

O Seminário tem como objetivo ampliar os espaços de discussão sobre os temas referentes à Agroecologia dentro da Universidade de São Paulo – USP. Esta iniciativa é fruto de um processo coletivo de estudos e práticas relacionados à temática dentro e fora da Universidade ao longo dos últimos anos. As discussões relacionadas à Agroecologia por estudantes de distintas áreas do conhecimento na Universidade de São Paulo, têm demonstrado a necessidade da ampliação desse debate, através do formato de seminário e com a participação de intelectuais tanto da USP como de outras Universidades, assim como de militantes do movimento agroecológico.

Segue abaixo a proposta de composição das cinco mesas com os seus respectivos temas , com convidados ainda por confirmar.

Mesa 1 (dia 3/06): Hábito Alimentar, indústria e urbanização.

  • A construção do hábito alimentar no processo de modernização

  • Alienação nas práticas cotidianas e urbanização – contradição campo-cidade

  • Indústria alimentícia e saúde

Mesa 2 (4/06): Sistemas produtivos: aspectos socioambientais da produção em sistemas de monocultura.

  • Origem e desenvolvimento da monocultura e escravidão

  • Uma agricultura para a sustentação da indústria do agrotóxico.

  • Impactos da monocultura em agroecossistemas tropicais.

Mesa 3 (dia 5/06) – Sistemas produtivos: aspectos socioambientais da produção em sistemas agroecológicos.

  • Princípios da Agroecologia e potenciais agrícolas nos ecossistemas tropicais.

  • A produção de alimentos por meio do cultivo de sistemas agroflorestais na Mata Atlântica.

  • Estrutura fundiária necessária para os sistemas agroecológicos com base na agricultura familiar e a problemática dessa estrutura no contexto brasileiro. Aspectos de sociabilidade específicos do pequeno agricultor familiar e a incompatibilidade com a estrutura latifundiária.

Mesa 4 (dia 6/06): Soberania alimentar e sociobiodiversidade, biotecnologia e monopólio

  • Ética na ciência – Manipulação genética e apropriação privada de organismos vivos (transgenia)

  • Soberania Alimentar e monopólio da biodiversidade.

  • Resgate, partilha, preservação e mobilidade internacional das sementes crioulas. O papel da mulher na sua preservação.

Mesa 5 (dia 7/06) – A questão da terra no Brasil: entre o mercado e a luta.

  • Latifúndio, produção de alimentos e o papel do agronegócio na economia brasileira.

  • Entre o mercado e a luta: o MST, a reforma agrária e a permanência na terra – produzir o quê e como?

  • O ambiental enquanto mercadoria: novas formas de expansão do capital; a produção de orgânicos em larga escala e sistemas de monocultura.

  • Autonomia do agricultor e democratização do alimento saudável frente ao crescente mercado de orgânicos. Certificação ea construção de sistemas participativos de garantia.

ComerAtivaMente e Coletivo Sem Nome.

Apresentação

O ComerAtivaMente é um coletivo autônomo cujo foco central é a alimentação e a agricultura. O grupo se formou em 2007 e desde então vem propondo a reflexão e atuação crítica acerca do modelo de produção agrícola dominante, dos hábitos de consumo que ele produz e por meio dos quais é reproduzido. Nessa perspectiva, um dos eixos centrais de atuação prática do grupo é a organização de compras coletivas de alimentos e produtos de higiene e saúde numa  parceria direta entre produtores e consumidores. A ComerAtivaMente procura cultivar relações que se sustentem para além da mera troca mercantil, orientando-se no sentido de fazer com que os associados se tornem simultaneamente produtores e consumidores em livre associação direta.

O grupo se organiza em autogestão e carrega os princípios da Agroecologia e da Economia Solidária nos critérios de escolha dos produtos a serem consumidos, acreditando que essa organização pode incentivar e fortalecer experiências de produção agroecológicas, bem como de movimentos sociais de luta pela terra.

Atualmente são realizadas as seguintes compras:

– Cesta de alimentos agroecológica – Produtor Seu Sebastião de Ibiúna – SP

– Grãos e cereais da Zona Cerealista – São Paulo – SP

– Latcínios orgânicos – Produtor Nata da Serra de Serra Negra – SP

em vista:

– Alimentos (bolos, pães, tortas) e produtos de higiene e saúde (sabão, pasta de dente, tinturas) produzidos pelos associados

– Produtos da Reforma Agrária – Vinho, Licor e Farmácia Viva do MST

– Absorvente de cilicone – Moon Cup

Além das compras coletivas, o grupo realiza atividades de formação e informação. Situado na USP, a ComerAtivaMente procura construir e ampliar o debate sobre a Agroecologia na Universidade através de mostra de filmes e documentários, debate-papos e seminários.

Sinta-se convidado a ComerAtivaMente

Blog do Comerativamente

Está inaugurado o blog do Comerativamente.

Mais um canal de comunicação ativando as barrigas famintas dos guerreiros e guerreiras.

é nóis!!!